Tag: gravidez

🥇 Elani Ciclo: Engorda? Qual a composição? Ajuda a combater a acne? 🤔

Olá meninas! Hoje vim falar sobre um anticoncepcional, o Elani Ciclo. Ele é mais uma opção de anticoncepcional que está à disposição de muitas mulheres e posso dizer que cada anticonceptivo é criado visando um perfil de mulher. Grande parte das mulheres que tem uma vida sexual ativa, usa algum tipo de anticoncepcional e até mesmo a camisinha. Um dos anticoncepcionais mais conhecidos é o Elani Ciclo.

Principais dúvidas sobre o Elani Ciclo

Saiba que muitas mulheres possuem várias dúvidas e algumas são consideradas até bem recorrentes. As principais são:

  • Elani Ciclo faz engordar?
  • De que é feita a sua composição?
  • Elani Ciclo é bom para a acne?

Se você também tem essas dúvidas, ou então deseja saber mais sobre este medicamento, está no lugar certo! Este post foi feito para você. É só continuar lendo até o final para saber tudo sobre este medicamento e para sanar todas as suas dúvidas. Vamos lá?

Quais os benefícios de Elani Ciclo?

O Elani Ciclo tem diversos benefícios que podem auxiliar no combate à acne e, com isso, melhoram a saúde da pele. Aliás, em muitas mulheres ele pode ter até mesmo um efeito rejuvenescedor, além de reduzir as cólicas e o fluxo sanguíneo durante o período da menstruação. Além de tudo isso, ele ainda pode ser um bom incrível aliado na perda de peso.

Confira o vídeo que separei para você sobre o assunto:

Situações que podem anular o efeito do Elani Ciclo

Existem determinadas situações que podem anular completamente o efeito de Elani Ciclo, portanto fique atenta:

  • Ficar um dia sem tomar o comprimido;
  • Problemas gastrointestinais;
  • Tratamentos com outros medicamentos específicos.

A importância da comunicação com o seu médico

As consultas com o seu médico nunca devem ser interrompidas. Até mesmo nos casos em que você estiver fazendo o uso de outra medicação. Aliás, nesse caso, ele é que irá avaliar a possibilidade e te passar todas as medidas que julgar necessárias. Lembre-se que seu ginecologista é o principal responsável pela sua saúde e bem-estar.

Não exagere na bebida

Ao ingerir o Elani Ciclo, o aconselhável é evitar ao máximo as bebidas alcoólicas. Isso porque, caso você beba demais, poderá vomitar e eliminar o medicamento do seu corpo, anulando os seus efeitos contraceptivos.

Elani Ciclo engorda?

Não. O Elani Ciclo não engorda e essa preocupação acaba afetando muitas mulheres na hora de escolher um anticoncepcional. Saiba que foi realizado um estudo com cerca de 80 mulheres que fizeram uso essa medicação sem nenhuma interrupção.

O resultado foi melhor do que o esperado: ele não engordou e, pelo contrário, até diminui o apetite dessas mulheres. Os efeitos foram tão satisfatórios que algumas delas conseguiram até mesmo acabar com o problema de obesidade.

Um verdadeiro aliado

Portanto, chego à conclusão de que o Elani Ciclo faz o controle do ganho de peso. Além disso, ajuda a controlar o inchaço resultante da retenção de líquidos. No entanto, este medicamento não deve ser ingerido apenas visando o emagrecimento!

Cada organismo é diferente e reage de forma igualmente distinta. Pode ser que para você isso não aconteça, ou cause algum tipo de alteração. Tudo depende de cada organismo, portanto, é sempre indicado conversar com o seu médico antes de iniciar qualquer medicamento.

É possível dize que o Elani Ciclo emagrece?

Para essa pergunta, posso apenas dizer que a resposta ainda não é conclusiva o suficiente. Ou seja, de acordo com alguns pesquisadores, esses dados estão ligados diretamente ao metabolismo de todos os carboidratos existentes no corpo.

Existem diversos estudos em andamento para que possa ser verificada a eficácia ou não do Elani Ciclo para fins de emagrecimento. Portanto nada ainda é conclusivo. Como eu disse, cada organismo vai reagir de um modo diferente a este medicamento. Afirmar que ele engorda ou emagrece, além de não ser verdade, ainda é totalmente desaconselhável.

De que é composto o Elani Ciclo?

O Elani Ciclo é criado a partir da combinação de diversos ingredientes, que, assim como outros medicamentos dessa categoria, são o Drospirenona e Etinilestradiol. Justamente por esse motivo, o Elani Ciclo é considerado um medicamento leve, que não causa muitos efeitos colaterais.

Versão genérica do Elani Ciclo

Além da versão normal, você também encontra a versão genérica deste medicamento. Isso pode ser levado em conta na hora de economizar e é algo que depende de pessoa para pessoa. A versão genérica de Elani Ciclo contém o mesmo princípio ativo do Elani Ciclo original.

Como o princípio ativo é o mesmo, não existe nenhum motivo que desabone a sua versão genérica. Vale lembrar que o seu princípio ativo consiste na combinação de Drospirenona e Etinilestradiol.

A procura por medicamentos genéricos tem crescido cada vez mais, e com Elani Ciclo não é diferente. O mais importante é saber escolher bem e não deixar de pedir a orientação de um farmacêutico no ato da compra. Afinal, ele é a pessoa mais preparada e pode  fornecer todas essas orientações técnicas.

Assim, procure uma farmácia que seja de sua confiança e que você saiba que tem bons profissionais. Afinal, cuidar da saúde e se prevenir é sempre muito importante!

Qual o preço do Elani Ciclo?

O Elani Ciclo é considerado um anticoncepcional, e o seu preço costuma ser bem diferente dependendo de uma farmácia para a outra. Além disso, não é considerado um medicamento barato. Justamente por esse motivo, é importante que você venha a conhecer a sua versão genérica. Algumas farmácias vendem o Elani Ciclo pela faixa de preço de R$ 30,00, enquanto em outras farmácias ele pode ser encontrado até mesmo pelo preço de R$90,00. Portanto, faça uma busca e uma pesquisa bem minuciosa.

Siga as instruções de seu fabricante

É indispensável que a pessoa que for utilizar o Elani Ciclo siga todas as orientações e instruções do fabricante, para que ele possa, de fato, funcionar da melhor forma possível. Aliás, vale lembrar também que você nunca deve deixar de consultar o seu médico ao iniciar qualquer tratamento que seja relacionado ao uso de anticoncepcionais. Afinal, somente o seu médico poderá lhe passar informações precisas e detalhadas sobre qualquer medicamento.

Confira o vídeo a seguir, relacionado a esse tema, para aprender ainda mais:

Para mais conteúdo, clique aqui.

 

Saiba mais no site de emagrecimento nycomed.

🥇 Ciclo 21 Engorda? Como tomar? Saiba tudo AQUI! 🤔

Olá meninas! Hoje vou falar sobre um contraceptivo bem famoso. Para saber tudo leia até o final!

O Ciclo 21, caso você não conheça, é um contraceptivo considerado um dos mais populares aqui no Brasil, além de ser um dos que tem o menor preço do mercado. Essas vantagens acabam atraindo várias mulheres. Além disso, ele também é distribuído em postos de saúde. Isso ajuda muito as mulheres que não tem uma renda alta a conseguir um método contraceptivo eficaz.

Como o Ciclo 21 age no organismo?

Para que você, minha amiga leitora, possa saber a forma como ele age no nosso organismo, é preciso antes saber seus componentes. Essa é uma questão muito importante e que, tenho certeza, vai ser de grande ajuda.

Qual a combinação dos ingredientes de Ciclo 21?

O Ciclo 21 é um medicamento produzido a partir de uma combinação da substância chamada de etinilestradiol, sintética do estrogênio juntamente com o levonorgestrel. Este, por sua vez, também é uma forma sintética da progesterona.

Toda essa combinação, quando ingerida diariamente, impede que ocorra o processo de ovulação nas mulheres. Com isso, a gravidez não tem chances de acontecer. Existem muitas dúvidas sobre o fato desse medicamento engordar ou não. Nesse artigo que eu preparei você vai saber tudo isso e muito mais. É só continuar comigo até o final. Vamos lá?

O Ciclo 21 Engorda?

Para ser bem franca, não existe nenhum dado nem comprovação científica de que o Ciclo 21 engorde. Existem certos relatos informando que ele engorda. No entanto, nada foi esclarecido sobre este assunto, visto que o fato de a pessoa engordar ou não varia bastante.

Afinal, cada organismo é diferente dos outros e único, portanto, pode reagir de formas diferentes mesmo em relação ao mesmo medicamento. A verdade é que o efeito pode ser diferente de uma pessoa para outra, assim como acontece com as outras combinações que são com hormônio.

O que acontece, então?

Para as mulheres que alegaram que tiveram um aumento de peso, o que pode ter ocorrido é que ao ingerir o Ciclo 21, algumas vezes ocorre uma maior propensão a reter líquidos, além do aumento do apetite.

É correto afirmar que não existe nenhuma ligação direta entre o fato de engordar e a ingestão do Ciclo 21. Essa conclusão se deve a diversas pesquisas que foram feitas, após algumas mulheres alegarem esse tipo de efeito colateral.

Como acabar com essa retenção de líquidos?

Existem passos simples para evitar a retenção de líquidos e a sensação de inchaço, veja:

  • Evite o sal.
  • Aumente a ingestão de magnésio, presente na uva, na banana, no abacate, entre outros;
  • Aumente a ingestão de vitamina B6 ingerindo mais leite, ovos, carne vermelha, entre outros;
  • Coma mais alimentos ricos em potássio, como a banana;
  • Evite os carboidratos refinados, como o pão branco;
  • Beba mais água!

Como tomar o Ciclo 21?

O comprimido do Ciclo 21 precisa ser tomado todos os dias, pelo período de 21 dias corridos, sem interrupções. O tratamento deve iniciar sempre no 5º dia do ciclo menstrual. Depois desses 21 dias, é preciso fazer uma pausa de ao menos 7 dias. Além disso, a menstruação deve ocorrer em um prazo de até 3 dias. Já nos ciclos subsequentes, o tratamento precisa ser reiniciado no 8º dia depois do último comprimido.

Esse processo tem que ser repetido sempre, mesmo que a menstruação esteja acontecendo. O importante é nunca esquecer de tomar o comprimido para não interromper o ciclo.

Qual o preço do Ciclo 21?

O Ciclo 21 está entre os contraceptivos mais baratos e ele pode ser encontrado pelo preço de até R$ 7,00. Além disso, também tem a opção de retirar gratuitamente em postos de saúde públicos.

Quais os efeitos colaterais do Ciclo 21?

O Ciclo 21 não é considerado um contraceptivo forte, que cause muitos desconfortos, se comparado aos outros medicamentos disponíveis no mercado. Os seus efeitos colaterais mais comuns são:

  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Dores e inchaço abdominais;
  • Alteração no fluxo da menstruação;
  • Sensibilidade nas mamas;
  • Maior secreção vaginal;
  • Erupção cutânea;
  • Candidíase vaginal.

O que dizem os especialistas sobre o Ciclo 21?

Grande parte das pessoas não sabe quais as verdades sobre o Ciclo 21. Com isso, vez ou outra algumas mentiras podem se espalhar. Algumas das mais comuns são: “o Ciclo 21 dá espinha” e “O Ciclo 21 pode provocar uma trombose”.

Claro que nada é garantido, afinal, o histórico de saúde de cada indivíduo deve ser levado em consideração, bem como os fatores hereditários. Muitos males, infelizmente, acabam passando de geração em geração. Isso faz com que algumas pessoas atribuam a um medicamento como o Ciclo 21 o motivo do desenvolvimento de tal enfermidade, quando, na realidade, isso se deve ao fator genético.

Confira o vídeo que separei para você sobre o assunto:

Qual a eficiência do Ciclo 21?

O Ciclo 21 tem um nível de eficácia de 97%, ainda que algumas mulheres duvidem da sua eficácia. Ele é considerado um poderoso método contraceptivo e despertada em algumas mulheres pode ser devido à boatos entre grupos de amigas ou notícias na mídia de que determinado lote foi violado. No entanto, não existe nenhum motivo para desconfiar da sua eficiência. Diversos profissionais vieram inclusive à mídia para garantir sua eficácia, desde que seja tomado corretamente.

A evolução dos métodos contraceptivos

Todos os métodos contraceptivos evoluem e se atualizam, para que sua eficácia seja cada vez maior. Isso, com toda a certeza, também ocorre com o Ciclo 21.

Todas as usuárias desse método contraceptivo devem ter em mente que uma coisa é fundamental: que o ciclo seja respeitado integralmente, para que seus efeitos continuem ativos pelo tempo ideal. Independentemente de qual método contraceptivo você, minha amiga leitora, escolher, é importante seguir ele à risca.

Muitas mulheres acabam reclamando da ineficiência de um método, ou como uma amiga engravidou mesmo tomando a pílula. No entanto, não é possível garantir, nesses casos, que a pessoa tenha seguido corretamente o período de uso. Esse ponto é extremamente importante, e por isso mesmo até corro o risco de soar repetitiva ao extremo.

Felizmente não existe apenas um método que previna a gravidez, mas vários. Cada mulher se adapta melhor com um deles. Algumas mulheres não suportam o DIU, enquanto outras não ficam sem. Isso também acontece com a pílula contraceptiva. Nesse caso, a responsabilidade é muito maior, afinal, a eficácia do método depende 90% de você seguir corretamente o ciclo. Por isso mesmo, algumas acabam optando por métodos como o DIU.

O importante é que você não se deixe levar pelo que as outras pessoas falam. Somente você pode saber, com total certeza, qual método é o mais confortável para você. O que vale é se prevenir e evitar uma gravidez indesejada.

Confira o vídeo a seguir, relacionado a esse tema, para aprender ainda mais:

Para mais conteúdo, clique aqui.

🥇 Cisto no Ovário – Saiba TUDO aqui! 🤔

Olá meninas! Hoje vou falar sobre um assunto super importante a todas nós, mulheres: O cisto no ovário.  Esse é um problema bastante comum nas mulheres, especialmente nas mulheres que ainda estão em seu período fértil. O número de casos chega a 2 milhões por ano, aqui no Brasil. Ainda assim, esse problema causa enormes preocupações.

Um medo bastante comum das mulheres portadoras de cisto no ovário é que isso dificulte a gravidez ou até mesmo que isso as torne inférteis. No entanto, será que isso é realmente possível?

Se você quer saber a resposta dessa pergunta e esclarecer muitas outras dúvidas sobre esse problema, é só acompanhar esse artigo até o final. Vem comigo!

O que é o cisto no ovário?

O cisto no ovário é, de modo geral, uma bolsa contendo líquido que pode surgir dentro, fora ou sobre o ovário. Os cistos costumam aparecer quando existe um descontrole hormonal e isso não afeta a ovulação.

No geral, esses cistos se manifestam em mulheres na idade adulta, especialmente nas que estão entre os 20 e os 35 anos  e que tem alguma doença inflamatória pélvica ou então nas que são portadoras de endometriose.

Confira o vídeo que separei para você sobre o assunto:

Quais são os tipos de cistos?

Existem diversos tipos de cistos no ovário. O tipo de cisto irá influenciar nos exames necessários para o seu diagnóstico e também na forma como seu tratamento será feito. Veja agora todos os tipos:

Cisto folicular

Esse é o mais comum dentre os tipos de cistos. O cisto folicular se forma quando não existe ovulação e o folículo não libera o óculo, o que resulta na formação do cisto. Essas bolsas tem, geralmente, o tamanho máximo de 6%.

Além disso, grande parte das mulheres que possuem cistos foliculares costumam sentir dor. Para que possa ser descoberto, é necessário realizar um exame de ultrassom.

Cisto Lúteo

Esse tipo de cisto pode sofrer rompimento durante a menstruação e demorar até cerca de três meses para que possa desaparecer por completo.

Ele surge da seguinte forma: quando o folículo se rompe, o corpo passa a liberar hormônios com o intuito de preparar o corpo para que o óvulo seja fecundado. Quando isso não acontece, o corpo lúteo é descartado.

Em determinadas situações, esse corpo pode ficar cheio de sangue ou de fluído e entrar em expansão. Isso se transforma em um cisto, que pode atingir até 10 centímetros. Entretanto, esse tipo de cisto não manifesta sintomas.

Cisto hemorrágico

O cisto hemorrágico surge no ovário e pode aparecer ou desaparecer de forma natural no intervalo entre os ciclos menstruais.

De modo geral, não é preciso ser feito nenhum tratamento. Porém, quando acontecem situações graves, é preciso realizar uma intervenção cirúrgica.

Quais são os sintomas dos cistos no ovário?

Ainda que a maioria dos cistos passe despercebida, algumas mulheres chegam a sentir dores, que surgem durante as relações sexuais, além de inchaço no abdômen, dor ao ir ao banheiro e também dor pélvica.

Já em alguns outros casos, pode ocorrer uma torção ou ruptura, sangramento e também dor abdominal aguda.

Como é feito o tratamento dos cistos?

Geralmente, os cistos no ovário não necessitam de tratamento, pois desaparecem de forma natural. Só é preciso que seja feito um acompanhamento médico, até que o cisto possa ser eliminado de forma completa.

Entretanto, alguns casos necessitam de tratamento especializado, para que o cisto não cresça de forma descontrolada ou provoque até mesmo consequências mais sérias.

Portanto, pode ser recomendado que a mulher passe a tomar medicamentos anticoncepcionais, para que dessa forma possa impedir o aparecimento . Além disso, também pode se fazer necessária a realização de uma cirurgia, para que o cisto possa ser completamente removido.

Contudo, esse tipo de cirurgia é realizada somente em último caso, quando os outros tratamentos não apresentaram resultados significativos.

Como é feita a cirurgia para a retirada dos cistos no ovário?

A cirurgia para a remoção dos cistos no ovário é bastante delicada e só é prescrita em casos extremos. Ao longo desse procedimento, o médico remove apenas os cistos, sem que atinja os ovários.

No entanto,  caso seja detectada a presença de um tumor maligno durante os exames, pode ser necessária a retirada completa dos ovários, para que isso possa impedir que o câncer se espalhe para os outros órgãos saudáveis.

Cistos no ovário podem atrapalhar a gravidez?

O medo bastante comum de que os cistos no ovário tornem a gravidez mais difícil é o maior temor de se tornar infértil.

Porém, esse medo é injustificado na maioria dos casos. Afinal de contas, geralmente esses cistos desaparecem sozinhos e não há necessidade de intervenção cirúrgica.

Esses cistos provocam, no máximo, pequenos desconfortos, mas não influenciam na ovulação. É justamente isso o que faz  com que muitas mulheres convivam com os cistos por anos, sem nem desconfiar que os tem.

Em suma, os cistos podem dificultar que a mulher engravide, mas não impede que isso ocorra. Entretanto, caso a gravidez já esteja em curso, é preciso muita atenção ao tamanho do cisto, pois alguns deles podem provocar abortos.

Além do mais, os cistos considerados malignos podem colocar a vida da mãe e do bebê em risco, sendo necessário um acompanhamento médico durante todo o período da gravidez.

Qual a diferença entre cistos no ovário e ovário policístico?

Essa é uma dúvida super comum que muitas mulheres têm.  Acaba existindo uma confusão entre cistos no ovário e o quadro de ovário policístico.

Primeiramente, é importante esclarecer que se tratam de dois problemas bem diferentes. O cisto no ovário tem como principal característica uma única bolsa com conteúdo líquido. Já no que se refere à síndrome dos ovários policísticos (SOP), sua denominação é o quadro em que os ovários aumentam de tamanho e ficam repletos de bolsas contendo um material líquido ou semi-sólido.

As pessoas que tem a SOP pode sofrer, ainda, de transtornos físicos e desequilíbrios hormonais. Isso tudo pode ser tanto a causa quanto a consequência desta doença.

Além do mais, os ovários policísticos são um dos principais motivos pelos quais várias mulheres acabam tendo dificuldade para engravidar.

Como prevenir os cistos no ovário?

Para que você possa prevenir o surgimento de cistos no ovário, é preciso ir regularmente ao ginecologista, de preferência mensalmente ou, ao menos, a cada 6 meses.

Portanto, procure conversar com seu médico. Comente sobre qualquer sintoma que você venha a apresentar e faça exames regularmente. Caso você tenha endometriose ou o histórico de cistos no ovário, é recomendado o uso de anticoncepcionais regularmente. Dessa forma você poderá impedir o surgimento novos cistos.

Confira o vídeo a seguir, relacionado a esse tema, para aprender ainda mais:

Para mais conteúdo, clique aqui.

🥇 Diabetes gestacional: O que é? Quais os tratamentos? Saiba TUDO Aqui! 🤔

Olá meninas! Hoje o assunto é Diabetes Gestacional. Você sabe o que é? Se não sabe ou quer saber ainda mais, é só ler esse artigo até o final!

Aliás, você sabe como ocorre a Diabetes? O nosso pâncreas, quando saudável, produz um hormônio chamado de insulina. Esse hormônio armazena os excessos, enquanto uma outra parte se transforma em fonte de energia. Pois a diabetes surge justamente quando essa produção da insulina não fornece ao organismo a quantidade necessária de energia.

O que é a diabetes gestacional?

A diabetes gestacional consiste no aumento dos níveis de açúcar no sangue durante o período gestacional, em gestantes que antes de engravidar não apresentavam diabetes. Ela é, geralmente, diagnosticada por volta do 3º trimestre e é curada sozinha após o parto. No entanto, apesar de se curar sozinha, é preciso tratar para evitar o surgimento de complicações, como em qualquer doença.

Quando a mulher engravida, ela necessita de insulina em dobro para que possa fornecer energia para o bebê. Afinal, ele precisa da insulina para que possa equilibrar os níveis de açúcar do seu próprio organismo. Aliás, a necessidade de insulina vai aumentando conforme o bebê cresce.

A falta de insulina, nesse caso, ocorre porque, durante a gestação, o organismo passa por diversas alterações hormonais. A diabetes gestacional é desenvolvida pelos hormônios da placenta, que fazem com que aumente o açúcar no sangue durante a gravidez.

Diabetes antes da gravidez

Primeiramente, algumas mulheres acabam recebendo o diagnóstico de diabetes gestacional quando, na verdade, já tinham diabetes anteriormente e não sabiam. Nesse caso, a diabetes não se cura, por não se tratar de diabetes gestacional.

Para as mulheres que já sabem que são diabéticas, é preciso procurar um médico antes de tentar engravidar, para que possa manter sob controle os níveis de açúcar. No entanto, existem determinados remédios para diabéticos que não devem ser usados durante período gestacional.

Como é feito o diagnóstico?

Durante o pré-natal, o ginecologista ou então o obstetra, solicita alguns exames para detectar os possíveis fatores de risco. Por volta de 20 semanas de gestação, é comum o pedido de exames para checar o nível da glicemia, ainda que não hajam riscos evidentes para o problema. Alguns dos exames gestacionais são:

O ultrassom

Esse exame não mede a glicose do sangue, mas é super importante para detectar quaisquer alterações que podem ser causadas devido à diabetes gestacional.

Por exemplo, o aumento do líquido amniótico e o crescimento rápido do bebê, podem indicar que o organismo da mãe não está conseguindo controlar os níveis de glicose. Nesse caso, alguns outros exames complementares podem ajudar no diagnóstico.

Exame de glicose em jejum

Esse exame mede o nível de açúcar no sangue, após um jejum de 8 a 12 horas.  Trata-se de um exame de sangue padrão. O sangue é coletado através de uma punção na parte interna do braço. Caso o nível de glicose esteja alto, pode ser que a insulina gerada não esteja sendo o suficiente.

Exame da curva glicêmica

Quando há alguma alteração nos resultados, o médico geralmente solicita um exame de curva glicêmica. Ele mede a quantidade de glicose fica no sangue após a ingestão de alimentos ricos em açúcar.

Para que seja feito esse exame, a gestante deve bebe um líquido doce e, após aguardar uma hora, uma amostra do sangue é coletada. Depois de duas horas, outra amostra é coletada, e na terceira hora, mais uma amostra. Dessa forma é possível descobrir de que forma os níveis de glicemia  decaíram naquele período de tempo.

Mulheres que apresentam diabetes gestacional devem sempre acompanhar o nível de glicose no sangue por meio de testes frequentes. Após 1 mês e meio do nascimento do bebê, novos exames devem ser refeitos, para que o médico possa se certificar de que se tratava de diabetes gestacional.

Diabetes gestacional tem cura?

Como eu disse anteriormente, ela normalmente desaparece depois do parto, visto que o metabolismo da mãe volta ao normal. Caso os sintomas da diabetes persistam após 1 mês e meio do parto, é bastante provável que a pessoa já tivesse diabetes antes de engravidar, e esse quadro apenas se agravou por conta da gestação.

Confira o vídeo que separei para você sobre o assunto:

Quais são os sintomas?

A diabetes gestacional, geralmente, não apresenta nenhum sintoma. Por isso é tão importante realizar os exames frequentes. Através deles o diagnóstico pode ser feito logo no início e a diabetes gestacional pode ser controlada.

No entanto, podem aparecer aluns sintomas:

  • Visão embaçada;
  • Aumento de sede e / ou fome;
  • Cansaço no corpo;
  • Pernas e pés inchados;
  • Inflamação urinária;
  • Aumento da vontade de urinar;
  • Ganho de peso exagerado da mãe e do bebê.

Quais são os riscos da diabetes gestacional?

  • Rompimento da bolsa antes da data do nascimento, levando a um parto prematuro.
  • Aumento do risco de pré-eclâmpsia.
  • Doenças cardíacas no bebê.
  • Desenvolvimento da síndrome da angústia respiratória no bebê ao nascer.
  • Desenvolvimento de doenças cardíacas no bebê.
  • Hipoglicemia no bebê após o nascimento.
  • Risco de obesidade infantil.
  • Desenvolvimento de diabetes mellitus tipo 2.
  • Ter diabetes gestacional numa outra gravidez.
  • Quanto maior a idade da mãe, maior a possibilidade de desenvolver a doença.
  • Ter parentes de primeiro grau com diabetes aumenta as chances de diabetes gestacional.
  • Mulheres que já possuem intolerância ao açúcar costumam ter maiores riscos de desenvolver diabetes gestacional.
  • Dar à luz a bebês acima do peso.

O que pode acontecer durante a gravidez?

Caso não seja controlada, a diabetes gestacional trará vários riscos para mãe e para o bebê. Afinal, 2/3 do açúcar da mãe atravessará a placenta e chegará ao bebê. O pâncreas da mãe irá produzir mais insulina do que o necessário.

Dessa forma, o bebê irá crescer mais do que deveria. Ao aumentar o crescimento dos órgãos e tecidos, pode ocorrer a malformação do feto, levando a hipertrofia em diversos órgãos. Isso irá prejudicar a função do coração e do fígado, além de dificultar a respiração. Todas essas alterações podem fazer com que o bebê acabe não sobrevivendo depois do nascimento.

Como prevenir a Diabetes Gestacional?

Existem certos meios de evitar a diabetes gestacional. Eles estão geralmente relacionados a uma alimentação saudável. Além de controlar a alimentação durante a gestação e ganhar peso de forma moderada, é muito importante fazer exercícios físicos regularmente, além de fazer o pré-Natal.

Qual a forma de Tratamento?

O tratamento irá depender dos níveis de açúcar no sangue. Pode ser indicado apenas uma dieta adequada, exercícios físicos ou então remédios hipoglicemiantes orais e até mesmo insulina, em alguns casos.

É importante que a gestante evite consumir doces, frituras, manteiga, chocolate, refrigerantes e sucos industrializados em excesso.

Exercícios recomendados para diabetes gestacional

  • As caminhadas são ótimas para mulheres grávidas que sejam sedentárias.
  • As gestantes que já fazem exercícios podem começar a fazer uma corrida leve.
  • Fazer pilates não só melhora o condicionamento físico, como também ajuda na postura, na respiração, no batimento cardíaco e no fortalecimento dos músculos.
  • A bicicleta ergométrica também pode ajudar a gestante a manter a forma durante a gravidez.
  • O alongamento impede que os músculos atrofiem e também fornece maior resistência a lesões.

Confira o vídeo a seguir, relacionado a esse tema, para aprender ainda mais:

Para mais conteúdo, clique aqui.

🥇 Clomid – O que é? Saiba TUDO sobre esse medicamento! 🤔

Olá meninas! Estava fazendo uma pesquisa recente na internet e li que o número de mulheres que vem enfrentando problemas para engravidar tem aumentado. Os problemas de infertilidade podem ter várias causas, o que acaba comprometendo a vontade de engravidar e também de ser mãe.

Essa situação pode até mesmo levar a casos de crises de ansiedade e até depressão. Entretanto, nos dias atuais existem muitas formas de tratamento.

O que é Clomid?

O Clomid é um medicamento bastante usado para tratar os casos de infertilidade, quando é causada pela dificuldade de ovular. A sua indicação é restringida a pacientes que não conseguem ovular. Além disso, é indicado apenas às mulheres cujo organismo consegue fazer a absorção do citrato de clomifeno sem problemas.

Esse medicamento auxilia no surgimento dos óvulos, permitindo então que eles sejam liberados do ovário para que possa haver a fecundação. Com o uso do Clomid, a ovulação acontece geralmente de 6 a 12 dias, depois da administração do medicamento.

Como é feito o Tratamento?

O tratamento consiste em 3 ciclos que, dependendo das orientações do médico, pode ser de uso contínuo ou  então alternado. Somente após o tratamento é que deve ser feita a tentativa de engravidar. No entanto, caso a gravidez ocorra durante tratamento, o uso do Clomid deve ser imediatamente interrompido.

No primeiro ciclo, a pessoa toma 1 comprimido por 5 dias. Para as mulheres que menstruam, essa etapa deve ser iniciada a partir do 5º dia do seu ciclo menstrual. Caso a ovulação aconteça, não é necessário aumentar a dosagem.

Caso não ocorra a ovulação durante o 1º ciclo, a pessoa inicia o 2º ciclo, no qual a dosagem deve ser de 100 mg pelo período de 5 dias, após aguardar um mês do fim do 1° ciclo. A dosagem não deve ultrapassar as 100 mg diárias. Se, mesmo com o tratamento, a mulher não apresentar ovulação durante 3 ciclos, deve considerar um outro tipo de tratamento.

Confira o vídeo que separei para você sobre o assunto:

Aborto espontâneo

O percentual de mulheres que usaram o Clomid e que sofreram um ou mais abortos espontâneos é de 21,4%.

É possível engravidar de gêmeos?

Sim. É importante frisar que o tratamento com o Clomid irá aumentar as chances de engravidar de mais de um bebê. Essa possibilidade e também os possíveis riscos que a gestante poderá correr no seu período de gravidez devem ser analisados e abordados entre médico e paciente, antes que seja feito o tratamento com esse medicamento.

Essa tendência a engravidar de gêmeos se deve ao estímulo no corpo, que acaba liberando mais de um óvulo durante o período fértil. No entanto,  não há garantias reais disso ocorrer.

Vou engordar ao tomar Clomid?

Infelizmente não existe uma resposta definitiva para essa pergunta. Afinal, você deve levar em conta o fato de que cada organismo reage de uma forma diferente quando está sob efeito desse medicamento. Entretanto, existem algumas pessoas que relataram ter ganhado peso ao utilizar. Fato é que ele age no corpo de forma a provocar um aumento na retenção de líquidos, o que resulta na sensação de inchaço.

Além disso, existem relatos de pessoas que fizem que o tratamento com o Clomid aumenta o apetite, provoca alteração hormonal e também ansiedade.

E se eu esquecer de tomar?

Se por caso, você esquecer ou passar da hora de tomar a medicação, nunca tome dois comprimidos juntos, como se fosse uma forma de compensação.

Ao esquecer de uma dose, você pode atrapalhar o tratamento e também o ciclo ovulatório. Por isso, caso isso aconteça, procure orientações do seu médico.

Cuidados especiais a serem tomados

É preciso ser muito cuidadosa, pois existem certos casos em que este tratamento é bastante recomendado: caso haja suspeita de pouca sensibilidade à gonadotrofina pituitária, como é o caso de pacientes que apresentam síndrome do ovário policístico.

Se você utilizar Clomid por um tempo além do recomendado, pode haver alterações na síntese do colesterol, devido ao aumento do índice sanguíneo.

O uso desse medicamento durante gravidez e lactação é totalmente prejudicial. Por isso, para que você possa evitar o uso do Clomid logo no início da gravidez, é bem importante fazer testes ao longo dos ciclos do tratamento, para saber se ocorreu a ovulação. Os testes ajudam ainda a medir a temperatura basal do corpo, observando a paciente cuidadosamente, assim, é possível saber se há algum sinal de ovulação. Um teste de gravidez também precisa ser feito antes de passar para o próximo ciclo de tratamento.

Avisos importantes!

Há alguns registros de que durante o tratamento com Clomid, algumas pacientes apresentaram a Síndrome de Hiperestimulação Ovariana. Com sintomas como o acúmulo de líquidos ao redor do coração, edemas, hidrotórax, dor abdominal aguda, insuficiência renal, acúmulo de líquidos no pulmão, sangramento nos ovários, trombose, torção do ovário, entre outros.

Para maior precaução é bastante indicado a ingestão de uma dose menor.

É imprescindível se consultar sempre com o seu médico caso haja qualquer sintoma diferente, como dor abdominal ou pélvica, aumento de peso, desconforto acompanhado ou não de aumento do abdômen.

Se você sentir que houve alguma mudança no organismo com o uso de Clomid, é muito importante que seja feita uma análise para verificar se surgiram cistos ovarianos através de um exame ginecológico. No entanto, caso isso tenha ocorrido, o tratamento deve ser suspenso até que haja uma regressão total.

Contraindicações

Clomid é contraindicado:

  • A mulheres que já estejam grávidas ou amamentando;
  • A mulheres com doenças no fígado;
  • Problemas de cistos ovarianos;
  • Mulheres com metrorragia;
  • Mulheres que são alérgicas ao citrato de clomifeno ou outro componente;
  • Pacientes com doença no fígado ou histórico de disfunção;
  • Mulheres com tumores hormônio-dependentes;
  • Pacientes com sangramento uterino;
  • Mulheres com cisto no ovário, exceto no caso de ovário policístico;
  • Não deve ser usado se for dirigir veículos ou operar máquinas pesadas.

Efeitos colaterais

Todo medicamento apresenta as suas contraindicações e efeitos colaterais, podendo ser mais fortes em algumas pessoas do que  em outras. Tudo vai depender do organismo de cada um. A posologia e dosagem devem sempre ser prescritas por um médico.

Os principais efeitos colaterais são:

  • Aumento nos batimentos cardíacos.
  • Inchaço no corpo;
  • Desconforto no abdômen;
  • Calor repentino;
  • Dores de cabeça;
  • Falta de lubrificação;
  • Visão embaçada;
  • Reações alérgicas de asma brônquica;
  • Aumento do tamanho dos ovários;
  • Dor ao urinar;
  • Catarata;
  • Convulsão;
  • Ansiedade, depressão;
  • Mudanças de humor;
  • Nervosismo, insônia;
  • Dermatites, urticária;
  • Redução na espessura endometrial;
  • Náuseas.

Primeiramente, é muito importante frisar que você não deve nunca se automedicar. Somente um médico pode receitar o Clomid, caso haja real necessidade. Além disso, os efeitos colaterais devem ser considerados antes de você tomar a decisão de iniciar o tratamento.

Confira o vídeo a seguir, relacionado a esse tema, para aprender ainda mais:

Para mais conteúdo, clique aqui.

You cannot copy content of this page