🥇 Saiba tudo sobre a Levotiroxina sódica – Suas aplicações e possíveis efeitos colaterais 🤔

Olá meninas! Hoje vou falar sobre a levotiroxina sódica. Ela é um medicamento sintético da tiroxina, que é indicado para o tratamento do hipotireoidismo.

Primeiramente, antes de continuar, vamos entender como ocorre o hipotireoidismo. A glândula da tireoide desempenha um papel super importante no corpo: ela é responsável pela produção de hormônios.

No entanto, algumas vezes essa glândula começa a produzir menos hormônios do que o ideal. É aí que acontece o diagnóstico de hipotireoidismo (ou seja, o organismo fica lento). A glândula da tireoide, que faz parte do sistema endócrino, fica localizada na região anterior do pescoço, ao redor da traqueia.

Seu tamanho médio normal nas mulheres é de 10 a 15 mL. Ela produz dois hormônios importantíssimos: triiodotironina e a tetraiodotironina, (T3 e T4), que controlam a forma como cada célula do corpo irá gastar energia metabólica. Toda essa produção é comandada pela hipófise, uma glândula no cérebro.

Esses hormônios de T3 e T4 são controlados pelo TSH, que funciona como se fosse uma espécie de alarme. Ele sinaliza quando esses dois hormônios estão em baixa ou em alta. Em suma, seus níveis devem estar sempre normais, nunca em menor ou maior quantidade.

E quando essa glândula produz uma quantidade de hormônios maior do que o necessário, provoca no organismo o chamado distúrbio do hipertireoidismo.

Confira o vídeo que separei para você sobre o assunto:

A levotiroxina sódica emagrece?

A maioria das pessoas que usam esse medicamento de forma contínua e receitada pelo médico, afirmam que sim, conseguiram emagrecer. No caso do hipotireoidismo, o organismo fica lento, e portanto mais propenso ao acúmulo de gordura.

Uma vez que os hormônios estejam estabilizados com a levotiroxina sódica, o corpo passa a queimar as gorduras que estavam acumuladas, dando a ideia de emagrecimento. Portanto, esta é apenas uma consequência do remédio, e não a seu foco principal.

Qualquer pessoa pode usar?

Definitivamente não. Algumas pessoas que estão acima do peso acreditam que podem usar o medicamento para emagrecer, sem  nenhum risco. No entanto, isso pode ser extremamente perigoso para a saúde. A levotiroxina sódica é indicada somente para pacientes que apresentem  hipotireoidismo.

O uso excessivo e indiscriminado desse medicamento pode não somente causar efeitos colaterais perigosos para a saúde, como também desregular os hormônios de uma pessoa que estava saudável.

Quais os efeitos colaterais da levotiroxina sódica?

Assim como qualquer medicamento químico, a levotiroxina sódica também pode apresentar efeitos colaterais. Vai depender de como cada organismo reage, mas os  principais sintomas podem ser:

  • Reação alérgica;
  • Urticárias (grande irritação na pele, coceira);
  • Inchaço no rosto, nos lábios, na língua ou na garganta e dificuldades em respirar normalmente;
  • Batimentos cardíacos descompassados ou rápidos;
  • Febre;
  • Hipertermia;
  • Insônia;
  • Diarreia;
  • Vômito;
  • Alteração de apetite;
  • Ciclo menstrual afetado;
  • Em casos raros, pode causar até mesmo a perda óssea.

Vale ressaltar que esse medicamento é contraindicado para pessoas que tiveram infarto recentemente, glândula da tireoide com produção excessiva de hormônios, bem como insuficiência da glândula suprarrenal.

É importantíssimo que gestantes, lactantes, crianças e idosos sejam imprescindivelmente orientados pelo médico, antes de fazerem uso desse medicamento. Nos casos de pacientes com histórico de hipertensão arterial, tuberculose, asma ou diabetes, antes de começar o uso do medicamento, é preciso que essas patologias sejam tratadas.

Alguns pacientes acabam associando o ganho de peso descontrolado com o uso desse medicamento, no entanto, os médicos e especialistas afirmam que essa informação não procede.

O que realmente faz com que o peso aumente é o problema na tireoide (hipotireoidismo). Como já citei, o metabolismo fica mais lento que o normal, e isso favorece o acúmulo de gorduras no corpo.

Por fim, o hipotireoidismo e o hipertireoidismo, são condições bastante delicadas, e que precisam ser tratadas de forma correta, fazendo sempre um acompanhamento e também fazendo uso dos medicamentos prescritos pelo médico de sua preferência.

Fatores de risco do hipotireoidismo

Existem alguns fatores como doenças autoimunes (condição onde o próprio corpo ataca as suas células), que podem estar relacionadas ao distúrbio da produção de hormônios. Essa é uma condição em que os médicos ainda não sabem explicar e determinar as causas com precisão.

Existem casos em que o paciente precisa passar por um procedimento cirúrgico, para que possa ser retirada uma parte da tireoide. Nesse caso, porém, é necessário fazer uma reposição hormonal pelo resto da vida, para que a perda dessa parte da glândula possa ser compensada.

Além disso, outros fatores de risco são:

  • Ser do sexo feminino;
  • Ter 60 anos de idade ou mais:
  • Possuir alguma doença autoimune;
  • Possuir histórico familiar de doença autoimune;
  • Fazer uso de algum medicamento que afete a produção dos hormônios da glândula tireoide;
  • Ter passado por sessões de radioterapia;
  • Ter realizado alguma cirurgia de retirada de parte da tireoide;
  • Ser gestante, lactante ou ter dado à luz no período dos últimos seis meses.

Quais os sintomas do hipotireoidismo?

  •  Fadiga;
  •  Sensibilidade grande ao frio;
  •  Prisão de ventre;
  •  Pele ressecada em excesso;
  •  Ganho de peso em curto espaço de tempo;
  •  Rosto inchado;
  •  Rouquidão;
  •  Sensação de fraqueza nos músculos;
  •  Colesterol alto;
  •  Rigidez, dores e sensibilidade nos músculos;
  •  Queda de cabelo;
  •  Batimentos cardíacos acelerados e descompassados;
  •  Ansiedade ou depressão;
  •  Problemas relacionados à memória;

Os sintomas do hipertireoidismo, geralmente são o extremo oposto ao hipotireoidismo: perda de peso rápida, taquicardia, arritmia, palpitações cardíacas, aumento da fome, ansiedade, nervosismo, irritabilidade, tremor nas mãos.

Além disso, suor excessivo, intolerância ao calor, funcionamento do intestino alterado, glândula tireoide visivelmente alterada, fadiga e fraqueza nos músculos, pressão alta, insônia, cabelo quebradiço, inquietação, dentre outros.

O que deve ser feito?

Nesses casos, você deve consultar um endocrinologista, para que ele possa recomendar o tratamento mais adequado e realizar os exames necessários para que possa ser feito o controle dos hormônios. Nos dois distúrbios, o médico deve ser consultado frequentemente, para que os hormônios se mantenham controlados.

Não só a levotiroxina sódica, mas qualquer medicamento não deve ser usado por conta própria, tampouco tomar uma dose acima do recomendado.  Além de ser extremamente prejudicial à saúde, isso pode desencadear outros problemas no organismo que antes estavam em perfeitas condições.

Confira o vídeo a seguir, relacionado a esse tema, para aprender ainda mais:

Para mais conteúdo, clique aqui.

Leave a Reply