🥇 Psoríase – O que é, Causas e Tratamentos 🤔

Primeiramente, a psoríase é uma doença que atinge diretamente o sistema imunológico do organismo. Seu principal sintoma é o surgimento de uma irritação na pele com a formação de escamas e também manchas secas. Ela pode se espalhar por todo o corpo e afetar até mesmo unhas e articulações.

Essas lesões tendem a afetar especialmente a raiz dos cabelos, os cotovelos e os joelhos, formando cascas esbranquiçadas. É uma patologia crônica, que pode ser causada por uma série de fatores. Entretanto, acredita-se, atualmente, que ela tenha algo em comum com um fator genético.

No entanto, existem outros fatores que podem desencadear o aparecimento da psoríase. Eles incluem stress, infecções e baixas temperaturas. Aliás, durante períodos como o inverno, as manchas características podem ressurgir, após um período em latência. O stress é tido como um dos principais fatores agravantes dessa doença, bem com o consumo exagerado de bebidas alcoólicas.

Existe, ainda, outro agravante, que se dá quando o paciente coça ou até mesmo arranca as casquinhas da pele lesionada. Isso pode aumentar ainda mais o tamanho da lesão. A psoríase é uma doença bastante comum, tendo registrado mais de 2 milhões de casos ao ano, no Brasil.

Entretanto, algo que deve ser destacado em relação à psoríase é que ela não é uma doença contagiosa, diferentemente do que muitas pessoas acreditam.  Devido à aparência escamosa e esbranquiçada das manchas provocadas pela doença, algumas pessoas no passado acabavam sofrendo o estigma de “leprosos”. Era como se a psoríase fosse transmitida pelo toque ou até mesmo pelo ar.

Felizmente, nos dias atuais já se sabe muito sobre essa doença, e as pessoas se conscientizaram mais.

As lesões que a psoríase provoca tem um aspecto avermelhado e a pele descama bastante no local. Isso se deve ao acúmulo de células cutâneas, o que resulta na  formação de escamas. As manchas avermelhadas também provocam coceira, o que acaba intensificando o quadro do paciente.

Características da Psoríase

Primeiramente, é muito importante repetir que a psoríase não é uma doença contagiosa. Caso você conviva com alguma pessoa que sofre dessa doença, saiba que é cientificamente impossível contraí-la através de contato físico. De todos os tipos de psoríase, nenhuma delas é transmissível.

Em segundo lugar, a psoríase é caracterizada como uma doença crônica, portanto não tem cura. Apesar de diversos estudos recentes mostrarem a importância de um componente genético como causa dessa doença, e também esclarecer acerca dos gatilhos como o stress e o frio, a causa da psoríase não é totalmente conhecida, o que dificulta ainda mais a busca de uma cura.

No entanto, existem formas de combater os sintomas dessa doença, por meio de certos métodos de tratamento, como você verá adiante. Em suma, a psoríase é uma doença que não tem cura, mas que pode ser devidamente controlada.

Aliás, ainda que a doença afete o sistema imunológico, ela não chega a ser classificada como uma doença autoimune. De acordo com os médicos, os medicamentos mais eficazes no tratamento dessa doença são os modificadores de resposta biológica.

Os métodos mais aconselhados no tratamento são: hidratação da pele e também exposição ao sol. Somente essas duas medidas já ajudam a manter essa doença sob controle.

Quais são os tipos de Psoríase?

Como já mencionei, a psoríase apresenta algumas variações, sendo que nenhuma dessas variações é contagiosa. Os tipos mais conhecidos de psoríase incluem:

  1. Psoríase do couro cabeludo: esse é um dos tipos mais comuns de psoríase. Ele afeta grande parte da população com essa doença doença. É caracterizada por lesões na raiz dos cabelos e varia de casos leves até os mais graves;
  2. Psoríase gutata: esse é o tipo de psoríase mais frequente nas crianças e adolescentes. Na psoríase gutata pequenas manchas vermelhas se espalham  pelo corpo e podem se agravar, tornando-se placas escamosas;
  3. Psoríase em placas: esta é a variedade mais comum da psoríase. Ela é caracterizada pelo aparecimento de placas avermelhadas e com descamação em locais como as articulações (joelhos e cotovelos), as costas e o couro cabeludo;
  4. Psoríase inversa: esse é o tipo mais raro dessa doença. Ele também provoca manchas avermelhadas, no entanto, elas apresentam aspecto liso e brilhoso. Geralmente são localizadas nas dobras do corpo, como a virilha, na parte inferior dos seios e também nas axilas;
  5. Psoríase eritrodérmica: esse é o estágio mais avançado da psoríase. Além disso, é bem mais raro de ocorrer. Nesse estágio o corpo fica praticamente todo coberto pelas lesões.
  6. Artrite psoriásica: essa é a combinação da psoríase com artrite. Ela atinge cerca de 30% dos pacientes de psoríase e é acompanhada de inchaço, inflamação e dores nas articulações.

Ao observar esses principais tipos de psoríase, é possível perceber que nenhum deles tem caráter contagioso. Sei que talvez isso seja repetitivo, mas é super importante frisar esse ponto, para que, dessa forma, possamos combater o preconceito para com as pessoas que sofrem dessa doença.

Como é feito o tratamento da Psoríase?

Ainda que não tenha uma cura definitiva, existe uma série de medidas que podem ser tomadas para que a pessoa possa aliviar os sintomas da psoríase. Os dois principais pontos do tratamento da psoríase são medidas bem simples para controlar a doença: hidratação da pele e exposição ao sol.

Todos os tratamentos de psoríase começam com o uso de hidratantes, que devem ser aplicados na pele diretamente nos locais afetados pelas lesões. A exposição solar também faz muito bem, mas sempre usando filtro solar e, de preferência, nos horários em que os raios UV não estiverem fortes.

É de suma importância que as pessoas cuidem atentamente da pele. Caso você note o aparecimento de algo diferente na sua pele, como o surgimento de lesões, manchas, pintas ou verrugas, é super importante consultar um dermatologista o mais rápido possível.

No pior cenário imaginável, o diagnóstico adiantado dessa doença vai ser de fundamental ajuda no tratamento, podendo conter os sintomas de antemão e até mesmo prevenindo o surgimento das lesões.

Seja como for, a psoríase deve ser vista como uma doença normal, ainda que não tenha cura. Como já frisei em diversos pontos do artigo, não se trata de uma doença contagiosa, portanto, não há motivo para pânico. Milhares de pessoas convivem normalmente com a psoríase, sendo necessário apenas o cuidado com a hidratação da pele e a exposição ao sol.

Confira o vídeo a seguir, relacionado a esse tema, para aprender ainda mais:

Para mais conteúdo, clique aqui.

Leave a Reply