🥇 Labirintite – O que é? Sintomas e Tratamento – Saiba TUDO aqui! 🤔

Olá meninas! O assunto de hoje é labirintite. Se você não sabe o que é, ou então sabe quer aprender ainda mais, é só ler esse artigo até o final. Vem comigo!

O que é labirintite?

A labirintite é um distúrbio que se caracteriza por uma inflamação na parte interna do ouvido, onde afeta os nervos que fazem a ligação dessa estrutura com o cérebro. Devido a essa proximidade com o cérebro, que é o órgão mais essencial do corpo humano, a labirintite é considerada um distúrbio bem séria e que afeta grande parte da população.

Além de prejudicar a audição, esse distúrbio também provoca episódios de vertigem e tontura. A explicação disso se deve ao fato de que a labirintite atinge a estrutura do vestíbulo, que é um conjunto de órgãos internos do ouvido, responsável por detectar movimentos corporais. Por esse motivo, uma vez que essa estrutura se compromete, ocorre o desequilíbrio corporal.

Essa estrutura também é muito conhecida como labirinto, daí a origem do nome desse distúrbio. O labirinto transmite informações ao cérebro acerca da posição do corpo por meio do movimento do líquido que está presente no interior dessa estrutura óssea.

O diagnóstico desse distúrbio é bastante problemático, pois os sintomas corriqueiros da labirintite não se limitam apenas a ela, podendo demonstrar outros quadros clínicos. Em grande parte dos casos, no entanto, a labirintite desaparece do mesmo jeito que apareceu: de uma hora para outra. O organismo se cura da inflamação e, com isso, a labirintite vai embora.

Se os sintomas persistirem por longos períodos de tempo, no entanto, um médico deverá ser consultado. Alguns medicamentos ajudam a controlar os sintomas mais sérios. Nos casos mais graves de labirintite, pode ser necessário realizar uma terapia de reabilitação vestibular. A função dessa terapia é fazer com que o equilíbrio e a saúde auditiva melhorem.

Confira o vídeo que separei para você sobre o assunto:

Qual a causa da labirintite?

A labirintite, como o próprio nome indica, é originada por uma inflamação na estrutura do labirinto. Essa inflamação se deve a uma infecção, em geral resultante de um resfriado ou uma gripe. Devido a isso, costuma-se que não existe nenhum fator hereditário relacionado à labirintite.

Contudo, a labirintite pode, de fato, ter uma conexão com fatores genéticos, mas somente em casos de extrema gravidade. Alguns exemplos são: o contato direto com componentes químicos fortes ou radioativos, distúrbios raros e outras ocorrências também improváveis.

Vale ressaltar que não existe uma causa única para a labirintite. A medicina, no entanto, relaciona a ocorrência da labirintite com diversos fatores de risco, geralmente relacionados a hábitos de vida comuns do ser humano.

A inflamação pode ser contraída devido à ação de organismos estranhos, como os vírus ou bactérias. Ou, ainda, ser causada por fatores emocionais e psicológicos, comumente relacionados a picos de stress e ansiedade.

Os principais fatores de risco para desenvolver labirintite incluem:

  • Consumo excessivo de substâncias como álcool, tabaco, café e determinados medicamentos;
  • Hábitos alimentares inadequados;
  • Altos níveis de ácido úrico, colesterol ou triglicérides;
  • Hipertensão;
  • Diabetes;
  • Idade avançada.

Como resultado disso, um dos principais meios de prevenir a labirintite é ter uma dieta saudável e balanceada. Aliás, manter uma dieta equilibrada  ajuda tanto na prevenção quanto no tratamento dessa condição. Uma dica muito valiosa é evitar o consumo em excesso de bebidas alcoólicas, doces, frituras gordurosas e carboidratos.

Quais os sintomas da Labirintite?

O sintoma mais conhecido desse distúrbio é a sensação de vertigem, que ocorre de uma hora para outra. No entanto, caso o quadro se agrave, existem outros sintomas que podem se manifestar.

Entre esses sintomas mais graves, podem ocorrer:

  • Enjoos;
  • Vômitos;
  • Sudorese excessiva;
  • Sensação constante de desequilíbrio;
  • Zumbido;
  • Audição prejudicada e sensivelmente diminuída;
  • Complicações no sistema gastrointestinal;
  • Queda de cabelo;
  • Perda da audição (apenas nos casos gravíssimos).

Como é feito o tratamento da Labirintite?

Primeiramente, antes de iniciar o tratamento propriamente dito, é necessário ter um diagnóstico médico confiável de que você apresenta esse distúrbio.

Como já frisei anteriormente, vale relembrar que os sintomas característicos da labirintite não são exclusivo dela, podendo sinalizar outra enfermidade. Por isso, caso haja de suspeita de labirintite, procure sempre uma segunda opinião médica, além da realização de uma bateria de exames, para confirmar, de fato, o diagnóstico.

Isso é bem importante porque, geralmente, os medicamentos para tratar a labirintite tem fortes ações no organismo. Os efeitos colaterais dos medicamentos podem provocar ainda mais complicações, além dos sintomas inicialmente sentidos, como excesso de tremor nas mãos.

Portanto, o tratamento desse distúrbio só pode ser realizado com a medicação prescrita por um profissional de saúde, depois de uma avaliação criteriosa.

Quando ocorre o influxo de bactérias, é comum o médico prescrever o uso de antibióticos, que devem sempre ser ministrados com muita cautela. No caso de uma infecção viral, eles costumam ser destruídos de forma autônoma e sem necessidade de interferência, sendo necessários apenas remédios para controlarem os sintomas.

De modo geral, o corpo tende a resolver a labirintite natural e autonomamente. Portanto, o procedimento comum do médico é acompanhar o caso do seu paciente, tratando os sintomas e também aguardando a resposta do organismo.

Quando o organismo não reage de forma espontânea, o médico recorre à prescrição de alguns medicamentos mais fortes, como corticoides, anti-histamínicos, além de uma série de sedativos. Vale ressaltar que esses remédios possuem diversos efeitos colaterais e só podem ser tomados de forma estritamente controlada por um profissional da área.

O que fazer em casos de crise de labirintite?

Primeiramente, é fundamental que o paciente procure manter a calma e a serenidade durante as crises. Evite agitar o corpo de forma abrupta, pois isso poderá piorar a crise. Em seguida, procure se apoiar em algum encosto (pode ser uma cadeira, um sofá etc.) e aguarde até que haja o desaparecimento dos sintomas.

Se você não tiver como se sentar, procure fixar o olhar em um ponto específico. Essa técnica geralmente ajuda a recobrar um pouco do seu equilíbrio. Não hesite e busque ajuda para que você possa encontrar um local calmo até que os sintomas desapareçam.

Como já mencionei, a labirintite é um distúrbio que pode ter graves e duradouros sintomas a longo prazo, caso não seja tratada de forma adequada.

A medicação deve sempre ser adequada para a gravidade do caso, conforme ocorre a recuperação ou não do corpo de forma independente. Não use remédios por conta, pois o risco de uma surdez é muito grande!Procure sempre um médico para que possa ter o diagnóstico, bem como a prescrição correta.

Confira o vídeo a seguir, relacionado a esse tema, para aprender ainda mais:

Para mais conteúdo, clique aqui.

Leave a Reply

You cannot copy content of this page