🥇 Gengivoplastia: O que é? É caro? Quem pode fazer? 🤔

Rate this post

Existem algumas pessoas que quando sorriem, acabam mostrando uma quantidade de gengiva maior do que o normal. Nesses casos, a gengiva é muito pronunciada e o dente tem a aparência de ser muito curto ou então muito pequeno. Isso é bastante comum, e é chamado de sorriso gengival. Para as pessoas que enfrentam esse problema, existe uma pequena operação, que remove a quantidade excessiva de gengiva, deixando o sorriso bonito e natural. Essa cirurgia é chamada de gengivectomia estética.

O que é a gengivectomia?

A gengivectomia é um procedimento cirúrgico bastante simples que consiste em cortar levemente a gengiva acompanhando o desenho do dente. Assim, os dentes ficarão mais expostos e o sorrido da pessoa será notado de forma melhor, conferindo uma harmonização estética bem melhor. Por meio dessa cirurgia, os dentes se tornam maiores, mais longos e perdem aquela aparência quadrada.

Quando deve ser feita uma gengivectomia?

A gengivectomia estética pode ser feita quando a causa do excesso de gengiva é baseada nos três fatores  seguintes:

1. Erupção Passiva Alterada (EPA)

Nos casos de erupção passiva alterada (EPA) acontece o crescimento natural dos dentes, que é finalizado entre 14 e 16 anos de idade. A EPA faz com que haja uma alteração na erupção das gengivas. Isso faz com que o excesso, que deveria ser removido naturalmente, permaneça nos dentes e, dessa forma, cubram o esmalte dentário mais do que deveriam.

2. Crescimento excessivo do maxilar

Uma outra causa do sorriso gengival se deve ao crescimento excessivo do maxilar. Essa alteração que ocorre no crescimento dos ossos maxilares é, quase sempre, acompanhada de uma erupção mais passiva, que também sofre alteração, como no caso anterior, porém, em menor escala. Dessa forma, a cirurgia é indicada para melhorar a estética do sorriso.

Entretanto, para que haja uma solução completa, é preciso que recorrer a uma cirurgia ortognática. Isso ocorre porque o principal motivo do excesso de gengiva é o crescimento ósseo, que ocorre além do normal.

Nesse caso, é necessário que o osso tenha seu tamanho reduzido. A única maneira de fazer isso, é cortando esse osso por meio de uma intervenção cirúrgica que deve ser feita por um cirurgião maxilofacial.

A cirurgia ortognática é sempre combinada à ortodontia. Primeiramente, há uma fase ortodôntica que deve ser feita, para que os dentes fiquem na posição correta.

Isso ocorre decido ao crescimento exagerado do maxilar, que deixa os dentes superiores em uma posição avançada.

3. Bruxismo

As pessoas que sofrem de bruxismo têm o hábito de ranger os dentes e isso acaba provocando o desgaste deles. Esse desgaste, com o passar do tempo, faz com que os dentes diminuam e se tornem menores. Isso também faz com que a gengiva se torne mais exposta.

Além disso, os dentes da parte superior apresentam uma tendência natural a buscar contato com os dentes da mandíbula inferior, apara que possa realizar uma oclusão de forma correta.

Conforme vão se tornando menores, os dentes do arco superior tendem a irromper, o que acaba por levar a gengiva a se sobrepor neles. Nestes casos, e também devido ao desgaste irreversível que ocorre no dente, se faz necessário cobrir o dente com folheados ou então com coroas de porcelana.

Como é a técnica cirúrgica da Gengivoplastia?

Nas clinicas odontológicas o procedimento é realizado utilizando um bisturi elétrico. Essa intervenção também pode ser realizada com o uso de um bisturi a laser. No entanto, os cirurgiões dentistas costumam utilizar o bisturi elétrico, porque ele faz com que o procedimento seja mais preciso, indolor e também causa um menor sangramento.

Além disso, para que a cirurgia seja completamente eficaz é preciso evitar o retorno da gengiva.

Esse procedimento de cirurgia gengival é feito sob efeito de anestesia local, para garantir que a pessoa não sinta nenhum tipo de dor. Para que o processo possa ser finalizado adequadamente, alguns pontos extremamente finos (como os que são comumente usados ​​pelos oftalmologistas) são feitos. Depois de uma semana eles são removidos de forma simples.

Algumas vezes, além de remodelar o tecido mole, ou seja, a gengiva, também se faz necessária a realização de uma osteotomia, ou seja, uma correção do osso. A Osteotomia é feita nos casos em que o cirurgião dentista acredita que possa haver uma recaída. Ou seja, quando ele acha que, com o passar do tempo, a gengiva poderá voltar para a posição em que estava antes da cirurgia.

Gengivectomia pós-operatório

O tratamento da gengivectomia costuma ter um dos melhores pós-operatórios dentre todas as cirurgias orais que podem ser realizadas.

No dia seguinte à cirurgia, a pessoa deve escovar os dentes utilizando uma escova cirúrgica. Isso ajuda a romper o coágulo de sangue que acaba se formando na margem da gengiva.

Ainda que a operação produza um hematoma e também a inflamação das gengivas, esses sinais começam a desaparecer depois de uma semana.

Portanto, depois do período de suas semanas a pessoa operada já poderá desfrutar de uma recuperação completa das gengivas. Além disso, é possível afirmar que o período pós-operatório não é doloroso para as pessoas que fazem esse procedimento. Afinal, o desconforto que pode ocorrer pode ser aliviado com um simples analgésico.

Além disso, a cicatrização depois da gengivectomia é muito boa, visto que a área é coberta com um tipo de cimento cirúrgico. Assim, apenas algumas horas depois da cirurgia a pessoa já pode realizar as atividades rotineiras e seguir com os seus afazeres normalmente.

Quais as possíveis complicações da Gengivoplastia?

A gengivectomia é um procedimento cirúrgico bastante previsível, portanto é bem raro resultar em algum tipo de complicação. Além disso, não existem contraindicações que impeçam a pessoa de passar por essa cirurgia.

Por esses motivos, dá para perceber que, nos casos em que a cirurgia é necessária, só existem vantagens. Além disso, é um procedimento bastante simples, rápido e previsível. Isso sem falar que oferece resultados totalmente visíveis e sempre satisfatórios.

Solução para problemas de saúde

Existem certas ocasiões a pessoa pode apresentar inflamações excessivas das gengivas, o que se deve ao acúmulo de tártaro. Nesses casos, além de tomar os medicamentos indicados, também é possível tratar o problema com uma gengivectomia. Esse procedimento geralmente é feito em pacientes que usam aparelho ortodôntico e que, devido à constante inflamação das gengivas, o uso do aparelho acaba sendo prejudicado.

Para mais conteúdo, clique aqui.

Leave a Reply